fbpx

 

Sabe aquele final de semana que você passa inteirinho de pijama indo do sofá para a cozinha, da cozinha para o quarto, do quarto para a sala? Pois é, também não sei kkk.

No final de semana eu vivi experiências maravilhosas e claro, vou contar tudinho para te inspirar e fazer você sair um pouquinho da zona de conforto e viver momentos incríveis.

 

Para começar…

 

… Preciso falar um pouquinho do “Casal na Montanha”. Um dia cheguei na rádio que trabalho e o Léo Marques me contou todo empolgado sobre eles, pois ele sabe que eu curto bastante fazer trilhas, ter esse contato com a natureza. Na mesma hora já os segui no Instagram, depois encontrei a Fanpage e logo me interessei pelos eventos que eles realizam. Dei uma boa olhada e já vi um que daria para eu fazer. Seria um pouco diferente das trilhas “tradicionais” que eu costumo fazer, mas me empolguei!! Vi que uma amiga, a Léo Passig, costuma fazer esses eventos com eles, então já troquei uma boa ideia com ela, peguei muitas dicas, convidei minha amiga Pri, que topou na hora e começamos a contagem regressiva hehe.

 

A descrição do evento era a seguinte:

 

E vai ter festa na montanha SIM! Festa junina na Pedra Branca em Alfredo Wagner! Você não pode perder!

 

Nesse acampamento “junino” vai ter quentão, pinhão, paçoca e luau com violão! Traga a sua bebida predileta e vem festejar com a gente!

 

NO SÁBADO: Deslocamento até o acampamento base na Pedra Branca. (local com estrutura de banheiro com chuveiro quente, cozinha e energia). Após confraternização com fogueira, violão será servido quentão cachorro quente e pinhão cozido. A tarde será livre para contemplação do local e festa junina

 

*(Também há a opção de aluguel de quartos, consulte-nos)

 

O HIKING DE DOMINGO :

 

OPÇÃO 1: TRILHA LEVE

Uma prazerosa caminhada fotográfica até a cachoeira do cânion escondido + mirantes da pedra branca, com cerca de 5km de caminhada total, vamos percorrer os campos para fazer belas fotos neste lugar mágico!

 

OPÇÃO 2: TRILHA MODERADA

Trajeto de 16 km com aclive de 900m, feito tranquilamente em 8 horas, com paradas de lanche, ponto de água e observação da paisagem.

 

Valor: R$130 por pessoa

VAGAS LIMITADAS

 

INCLUSO:

2 GUIAS CADASTUR

Taxas de acesso a terreno particular

Camping

Cachorro quente, copo de quentão e pinhão

Apoio de veiculo 4×4

 

ITINERÁRIO

 

SÁBADO:

 

13:00 – Recepção no Restaurante Salto das Águas

14h- Saída para o Camping na Pedra Branca: trajeto de 6km na br-282, e 17km de estrada de chão, em comboio (veículo próprio).

15h – Chegada no acampamento base, montar acampamento e curtir a festa de São João!

16h – A música começa e mais algumas surpresas de festa junina!

17h- Acenderemos a fogueira e será servido QUENTÃO E PINHÃO!

19h -Jantar de Montanha

 

Domingo

 

8H Desmontar acampamento

9H Pé na trilha

12H – Previsão de retorno ao restaurante Salto das Águas ( almoço de encerramento opcional)

Não tem equipamentos de camping? Alugamos pra você ( barracas, isolantes e sacos de dormir)

Também há opção de alugar um quarto na Pousada Vô Chico.

 

Você diria não para um evento desses? Não tem como, né?! rs

 

A ida

 

Saímos de Palhoça no sábado, às 11h15, e chegamos no ponto de encontro, Restaurante Salto das Águas, às 12h45. Aliás, lá tem um parque aquático muito legal, que eu vou querer conhecer, com certeza!

 

 Pelo caminho

 

 Não entra em Alfredo Wagner, passa reto hehe (nós entramos, pois o Google Maps mentiu pra gente kkkk)

 Restaurante Salto das Águas

 Parque Aquático

 

Lá conhecemos a Vanessa e o Renan (do Casal na Montanha) e as outras duas meninas que iriam se aventurar também. Como estávamos em poucas pessoas, a Vanessa conversou com a gente sobre a possibilidade de fazermos um só itinerário, já que eu e minha amiga iríamos fazer a trilha mais leve. Mas aí decidimos tentar encarar a maior, para fazer com todo o grupo. Seja o que Deus quiser! Hehe

 

Saímos em comboio do restaurante às 13h30 e seguimos para onde seria o acampamento. Seguimos pela BR-282 por 6 km e depois entramos em uma estrada de chão por 17 km. Sim, o acesso não é tão fácil, mas o visual é muito lindo. Relaxa e vai curtindo a paisagem, balançando um pouco por conta dos buracos (veja nos destaques do stories do meu instagram alguns vídeos), mas com certeza você vai ter uma ótima surpresa quando chegar no destino.

 

7 - Trilha
8 - Trilha
9 - Trilha
10 - Trilha
11 - Trilha
12 - Trilha
13 - Trilha
14 - Trilha
15 - Trilha
16 - Trilha

Pousada Vô Chico

 

Nossa, que lugar lindo!!! Você chega lá e não sabe para onde olha, você está, literalmente, cercado pela natureza.

 

 Lindo né?

 

 Esse é o Pinhão

 Essa é a Campolina

 Lá atrás: a Pedra

 

Conhecemos o Sr. Francisco, proprietário, um fofo, querido. Aliás, você pode reservar a pousada para passar dias agradáveis lá, o telefone é (47) 98912-5182

 

Bem, além de se encantar com o local, nós também tivemos o momento “uau, nossa senhora, sério?!”, quando vimos o “tamanho” da pedra que iríamos subir no dia seguinte, não só o tamanho, mas a distância que iríamos percorrer. Eu e a Pri só nos olhamos e falamos na hora: “Vamos tentar, se não der, a gente para e espera no meio do caminho, mas vamos!!” rs

 

 Lá a pedra e aqui a nossa barraca

 

Mas estávamos super eufóricas, o pôr do sol foi lindo, o clima estava muito agradável e estávamos curtindo cada momento.

 

 Eu e a Neném <3

 

 

 

 

 

 

 Pri e eu

 

 Mulherada poderosa

 Que tal?!

 

 

 

 

 

 

 A caipirinha delícia da Vanessa

 

 

A barraca

 

Era a primeira vez que iríamos acampar (eu já tinha acampado, mas foi na praia, com aquelas barracas gigantes, que parece casa rs), assim, seria a primeira vez. E o “pior” é que só eu e a Pri tínhamos optado por isso, pois as outras meninas escolheram ficar na pousada. Enfim, tudo certo! Nós alugamos os equipamentos com eles (a barraca, saco de dormir e protetor térmico), e eles montaram pra gente também, super prestativos. Mas, teríamos uma surpresinha durante a noite… Já conto hahaha.

 

 Barraca modelo Nepal da Aztec para 2 pessoas

 

Arraiá e muito mais

 

Como eu disse o clima estava muito bacana, apesar de poucas pessoas, assunto não faltou. Imagina, 5 mulheres, ou melhor 6 menininhas, pois preciso incluir a Neném linda e 1 homem. Mulherada quase não fala né? hehe

 

Amei a cia de todos, tomamos um café gostoso, a Vanessa preparou uma caipirinha de responsa, um pinhãozinho delicioso para acompanhar o pôr do sol e aguardar a chegada da lua. Logo depois acenderam a fogueira, tomamos quentão conversando ao redor do fogo para esquentar a noite fria, enluarada e estrelada <3. E ainda foi servido um cachorro quente para a turma. Tudo muito perfeito. E tudo isso foi organizado pelo Casal na Montanha ( a Vanessa e o Renan). Muito legal.

 

 

 

 

 

 

 

A “surpresa” da noite

 

Lá pelas tantas resolvemos dormir. Bora lá viver a experiência de dormir em uma barraca ao pé da montanha. Bem, eu tinha visto com o Coutinho ( o que considero o melhor meteorologista) sobre a previsão do tempo para o final de semana e ele disse que durante o dia seria bom, mas tinha uma chance bem grande de chover durante a noite de sábado para domingo. Mas antes de deitar, olhei para o céu, a lua estava linda, gigante, muitas estrelas e tal, falei “acho que dessa vez o Coutinho errou, impossível chover com uma noite dessas”… Eu estava enganada haha.

 

Por volta da 1 e meia da manhã comecei a ouvir os primeiros pingos, e eram pingos de respeito, viu! Daqui a pouco desabou o mundo. Chuva, chuva, chuvaaaa, raios, trovoadas, Jesus amado! E a gente ali, na barraca. Durou uns 40 minutos, acho, mas quando parou, veio um outro barulho… Era o vento chegando, mas chegando com tudo, pensa nas rajadas. Era engraçado, dava para ouvir o vento chegando, vindo das montanhas, até a nossa barraca. E que foi super resistente, viu! Não mexeu nada. Até me surpreendi, pois foi vento a noite inteira e muito forte. 

 

Claro que foi bem difícil dormir com o temporal enlouquecido do lado de fora, mas sobrevivemos! Hehe

 

A saída para o hiking estava marcada para 7 da manhã. E como parou de chover, o tempo melhorou, a trilha foi confirmada!!

 

 Pela manhã a chuva tinha dado tchau rs

 

Tomamos um café, arrumamos as coisas, mochila nas costas e bora se aventurar!!

 

 

Site Casal na Montanha – Saiba mais sobre a Pedra Branca

 

 

Hiking na Pedra Branca

 

 

Saímos 07h30 do acampamento. A Vanessa e o Renan foram explicando e nos mostrando tudo ao longo do caminho. E claro, a Neném também foi cuidando da gente. Aliás, a Neném deu um banho de saúde e energia! Nos deixou no chinelo em matéria de trilha hehe

 

 

Logo no início passamos pela Cachoeira do Poço Fundo. Pausa para fotos e seguimos!

 

 

Ao longo do caminho atravessamos alguns riachos, com pedras, escorregadias, tá? Inclusive eu cai no primeiro, cai de bunda na pedra. Nem preciso falar que tô com um baita roxo, sem conseguir sentar direito, mas não espalha hahaha

 

 

Nos primeiros minutos passamos por locais bem abertos. Depois entramos em mata mais fechada e subida, subida, subida. E como choveu, tinha muuuita lama, eu fui de tênis, ficou bem escorregadio, então o nível ficou mais difícil e a atenção foi redobrada. Teve momentos que eu e a Pri pensamos em desistir, mas eles nos incentivaram e nunca nos deixavam para trás. Sempre vai um guia na frente do grupo e outro atrás. Bem legal.

 

 

 

 

 

 

 

E assim fomos, devagar e sempre! Admirando toda a beleza da natureza quase que intocada, respirando aquele ar puríssimo.

 

10h47 nós chegamos no início do facão, que é uma passarela com cerca de 3 metros de largura e com precipício dos dois lados. A vista de lá é linda!! Fizemos uma pequena pausa por lá para fazer um lanchinho e descansar um cadim. 11h20 saímos novamente rumo ao cume!!

 

 O tal Facão, podemos chamar de “passarela” também 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegamos no ponto mais alto, cerca de 1666 metros de altitude às 12h50 e com aquela sensação de “eu consegui!!!”.

 

É muito legal que lá tem um caderno para assinatura dos guerreiros que conseguem chegar até lá. Ele fica dentro desse baldinho. Muito legal!!! Minha assinatura está ali!! Obaaaa!!!

 

 

 

Tinha muuuito vento lá. Paramos para admirar a natureza, fazer mais um lanchinho, descansar as pernocas e logo iniciamos o processo de volta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Saímos no cume às 13h20 e às 13h42 chegamos no início de um “pé” no caminho que nos leva até o Perau Branco, que para mim foi o lugar mais incrível da trilha. Esse “desvio” no meio do caminho leva, mais ou menos, 30 minutos a ida e volta. Um pouquinho mais para baixo está a Cascata Invertida. E, naquele dia, por conta do vento está ainda mais fantástica. É uma cascata, no alto da montanha, que jorra água pra cima! Sensacional!!

 

 

 Perau Branco

 

 

 

 

 

 

 Cachoeira Invertida

 

Depois descemos direto. Claro que com muito cuidado, pois se na subida já era difícil por conta da lama, a volta ficou ainda um pouquinho mais tensa. Várias vezes eu quase cai, mas o bastão de caminhada ajuda muito!! Usei pela primeira vez e esse é um item que vou comprar, com certeza!

 

 

 

 

 

 

Chegamos no acampamento às 17h50. Com dores em tudo, porém, muito realizada!! Foi um final de semana maravilhoso!!!

 

E você, o que fez de bom?

 

Beijos e até a próxima aventura,

 

Simone Malagoli

 

Fotos: Casal na Montanha e arquivo pessoal 

 

 

Quer mais informações dos guias do Casal na Montanha?

 

Renan Schuller (48) 98419-3590

Vanessa Laura Franz (47) 98843-8693

 

Confira o post original no blog da Simone Malagoli

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: